segunda-feira, 9 de julho de 2012

VOODOOHOP




Antes de falar da minha festa, tenho que fazer uma pequena introdução para entenderem ao máximo o que eu quero falar e sentirem ao menos um pouquinho disso.
Na minha infância era praxe passar as madrugadas conversando com minha tia. Numa dessas, envolto em fumaça de incenso e cigarro, ela me disse que gostava da noite porque ela é melhor, não te exige, não te julga, não espera nada. As pessoas da noite são mais interessantes. Nunca esqueci isso.
A noite as pessoas se soltam, se vestem, se despem. Você pode ser quem quiser. Quem nunca saiu um dia e mentiu o nome experimentando ser uma pessoa completamente diferente? Quem não fez, recomendo. No dia seguinte vc pode não lembrar de nada, ou querer não lembrar. A noite te permite.
E foi assim que essa minha tia me levou a uma boate quando tinha 7 anos, aniversário de um amigo, camarote separado. Mal sabia eu que 11 anos depois estaria trabalhando ali. Não parei mais.
Coloridas.Blackout.Swinger.Eletrônica.Sertaneja.Hetero.Homo.Samba.Pop.Sado-Maso.Artisticas.Gregas.Góticas.
É difícil escolher só uma festa pra falar aqui, principalmente quando sua vida é tomada delas. Com três festas por semana, há 10 anos, temos uma média de 1440 festas, 7200 horas que dão 300 dias. Daqui a pouco posso dizer que já passei um ano inteiro em festa.
Pra escolher uma, tinha de ser A uma. A que mais me identifico e que mostra esse mix das 1440.
Escolhi a Voodoohop.

Voodoohop Neon Ritual from The Silent Walk on Vimeo.


A Voodoohop começou em São Paulo com a idéia de revitalizar lugares abandonados. A festa é itinerante e sempre acontecem nos mais diversos locais, prédios, puteiros, chácaras e afins. É uma mistura de idéias e sensações, música e arte se encontram com djs, vjs, bandas e performances. A entrada ainda é free pra quem vai de bicicleta ou fantasiado na temática da festa. E que temáticas! Neon Ritual, Baile de Los Muertos, Gente Que Transa, Solstício Pagão e vários outros. A forma fez sucesso e hoje a Voodoohop passa também por Brasília, Rio, Salvador, Londres, Paris, Berlin, Madrid, Istambul, Nova Iorque e mais.
Ao ser convidado pra trabalhar nela fiquei lisonjeado, os preparativos começaram. A Voodoohop do Solstício Pagão ocorreria simultâneamente em várias cidades do mundo, exatamente no dia do solstício. Uma espécie de Sabbath de Litha hedonista. O local escolhido foi um clube amplo, com grama e instalações diversas. Uma espécia de tenda inflável foi armada em um ponto, foco de luz, recheada de tintas e panos, chitas, muitas estampas. Além das tendas dos djs, fizeram um enorme círculo de fogo, para o grande ritual. 



Escolhi representar o grande Deus Chifrudo, nossa performance (minha e da minha prima, com quem trabalho) era bem ritualística. O Deus Chifrudo com seu falo ereto que gozava álcool na boca de quem quisesse ser abençoado. O álcool entrava e as pessoas se soltavam, cera quente que dói, mais luzes, cânticos eletrônicos. Mais álcool. Quem quisesse se despia, as chitas rodavam transformando tudo num grande kaleidoscópio. Mais álcool. A cera quente não dói mais tanto. Meninas de biquini pintavam umas as outras com um pau de borracha. Espera, isso foi nessa Voodoohop ou em outra? Mais álcool. A cera quente de repente fica incrivelmente sexy. Uma menina vem chorando, se ajoelha perante a mim e pede um homem, entoo um canto qualquer e finalizo despejando álcool na boca dela com o falo do Chifrudo. Não basta. Ela paga o falo e se molha inteira, dando um banho de vodca em si mesma e finalizando beijando meu próprio membro por cima da calça. Mais álcool. Caio. O bombeiro quer me costurar, tenho de ir pro hospital. Não quero. Não posso abandonar o ritual agora. Na embriaguez peço uma linha da roupa do bombeiro pra me costurar, ele diz que não. Recuso-me a ir e continuo aberto mesmo. Mais álcool, mais tinta. Abraços, beijos, lágrimas, alegrias. Tudo assim, com desconhecidos. Não fala seu nome, não estraga o momento, deixa eu escolher um pra você.



No horizonte o sol começa a levantar, é feito o último círculo. Hora de ir embora. Mais um ritual feito, mais pessoas felizes, menos lembranças na mente. Mais uma noite.






O grande kaleidoscópio voodoo: http://inoyan.narod.ru/kaleidoskop.swf





Nenhum comentário:

Postar um comentário