segunda-feira, 14 de abril de 2014

SUPER SÓ

"Era uma manhã qualquer. Eu estava no balcão de uma padaria esperando sair o meu pão na chapa e meu café com açúcar. Enquanto isso, lia ao comics do Homem Aranha. Eu sempre fui fã dos super heróis. Lanterna Verde, Tocha Humana, Besouro Azul, Batman... E, claro, Mulher Maravilha.

Quando sentou-se ao meu lado uma mulher estranha. Percebi seu olhar curioso sobre mim.
Apesar de gostar de conversar com estranhos, preferi ignorá-la.

De repente, senti um sopro frio na minha nuca e como num passe de mágica, todos haviam desaparecido da padaria. O espremedor de laranja, antes frenético, calou-se. O silêncio era sepulcral. E eu lamentei que meu pãozinho ainda não tivesse chegado. Além de mim, apenas aquela ao meu lado.

Foi, então, que me virei e me deparei com dois olhos azuis muito frios  que me fitavam. E, então, ela falou:


'Super

Super Só
Prazer em conhecer
Eu sou Super Só

Eu tenho super poderes
Eu posso transformar
Uma noite quente
Num mergulho vazio

Posso transformar
Uma viagem romântica
Num passeio insólito

Posso transformar
O seu namorado
Numa estatua de gelo

Porque eu sou Super

Super Só
Prazer em conhecer
Eu sou Super Só

Eu tenho super poderes
Eu posso trasformar 
A sua voz macia
Num uivo longínquo

Posso transformar
A sua infancia
Num tubo de ensaio

Posso sumir 
Com seus amigos
No seu aniversário

Eu sobrevôo as multidões
Posso te levar... comigo

Super
Super Só
Prazer em conhecer
Eu sou Super Só

Eu tenho super poderes
Eu posso transformar
Os seus últimos dias
Numa folha em branco

Posso transformar 
A sua amante 
Numa boneca inflável

Posso guardar 
A sua alma
Numa embalagem a vácuo

O meu escudo te protegerá
De todo calor... humano

'"

SUPER SÓ
uma canção de Miriam Virna

Nenhum comentário:

Postar um comentário