quinta-feira, 14 de março de 2013

ENGOLE ESSE CHORO!




Engole esse choro
Enquanto os gatunos homicidas asquerosos hipócritas bandidos sórdidos fratricidas pedófilos estupradores ladrões assassinos manipuladores corruptos imundos desprovidos de qualquer sinal de civilidade ou caráter toscos desavergonhados cadelonas podres egoístas mercenários mentirosos estúpidos corja de almas sebosas espíritos de porco chauvisnistas homofóbicos sexistas psicopatas estorvos sujos especuladores inescrupulosos preconceituosos atolados na merda usurpadores agiotas arrogantes imbecis aproveitadores nojentos dormem tranquilos, eu passo a madrugada engolindo o choro.
Você é de onde? De Brasília e estou aqui sozinho com milhares de pessoas sozinhas na madrugada engolindo esse choro. Ninguém quer atirar a primeira pedra ou matar o primeiro canalha. Ninguém está pronto pro confronto fatal, que envolve bater, apanhar, apanhar, apanhar e morrer ou matar. Ninguém está pronto pra continuar engolindo e regurgitando e vomitando e engolindo e cagando diarréia dessa lama asquerosa que estão nos enfiando goela baixo todo dia. Ninguém consegue mais cuidar da sua vida e nem consegue cuidar disso que fode a vida de todo mundo. Ninguém aguenta mais reclamar e não fazer nada e nem consegue fazer alguma coisa. Ninguém suporta mais essa porra toda e simplesmente toca sua vida. Ninguém é todo mundo. Ninguém.
Este momento é de um enorme holocausto de vivos tristes arrebatados pela força maligna que paira no ar escancaradamente e que sutilmente rouba cada migalha da dignidade existente. Este momento se alimenta da burrice e da inteligência, da pobreza e da riqueza, da saúde e da doença, da fé e da descrença. Este momento está mórbido. Moribundo. Este momento representa o ápice de um sistema massacrante e falido. Este momento é o orgasmo múltiplo da inconsistência. É o prenúncio de um colapso. Este momento vai ruir. Este momento vai se auto destruir a olhos vistos em praça pública em cadeia nacional no horário nobre via satélite antes da chuva. Este momento tem os dias contados.
Eu não tenho certeza nenhuma sobre o que será de nós, mas também não tenho dúvida.
Engole esse choro.
Ana Tirana

Um comentário: