terça-feira, 8 de maio de 2012

Criatividade, opções, dúvidas e decisões

De que adiantam tantas referências escondidas e puramente conceituais? Ai, saco. A gente pensa, "será que todo mundo entende"? Não sei. Mas acho que isso não importa. Trabalhamos por vários e vários tempos do dia, semana, mês, ano, pra fazer um produto minimamente interessante às pessoas, aos alvos. Conversamos, discutimos, refletimos, filosofamos sobre tantos mínimos detalhes, tantos momentos de 2 segundos, pra ver quais são as melhores opções. Escolhemos certas coisas que demoraram as ser o que são.
Tenho acreditado que um ponto da arte, além de todas um monte de milhões de coisas, seja medida pelo medida pelo gosto do artista. Claro. Talvez, não novidade. Mas o artista precisa tomar decisões. O ator precisa decidir por certas formas de demonstrar tal coisa (coisa é uma coisa bem ampla), optar por certos movimentos o tempo todo, a cada segundo. Talvez, um artista reconhecido, seja aquele que sabe tomar decisões. E, antes de tomar decisões, ele precisa ser criativo pra ter várias opções pra poder decidir. Cabe ao artista ter a criatividade de escolher a coisa certa a se fazer dentre tantas opções. Na verdade, prefiro não falar "a coisa CERTA a se fazer". Não quero entrar na discussão de certo e errado, bom e ruim, bonito e feio. Deixa isso pra lá.
Ter dúvida, pode ser que sejam no mínimo duas certezas numa mesma pessoa. Eu tenho sempre várias certezas, ou seja, muitas e muitas dúvidas. Mas eu tive que decidir por elas. Fazer parte de um grupo é uma certeza. Fazer um espetáculo, acumula milhões de certezas (entre outras dúvidas que permanecem, claro). Muitas e muitas decisões! E, como já disse, um grande PROCESSO pra chegar em decisões que acreditamos ser certeiras. Cada palavra, cada gesto, cada jogo, cada canção. Gosto de processos e gosto também do "jogo rápido".

Agora, não tem como investir no processo de um "textículo" de blog, porque tem um velho senhor bêbado jogando uma voz bem rouca e bêbada direto no meu ouvido, me perguntando sobre milhões de músicos brasileiros, me perguntando como eles morreram. Às vezes sei, às vezes não sei, às vezes respondo. Perdi a concentração. Mas ficam registrados um pouco de blá blá blá's filosóficos e bem fresquinhos.

Google Imagens: CRIATIVIDADE, OPÇÕES, DÚVIDAS E DECISÕES






EU ESCOLHI --->






Um dia escolhemos esta canção abaixo. Quanto ao processo de sins ou nãos sobre essa decisão, fica pra próxima semana, ou não.

Inspiração inicial que tinha tudo a ver no filme "Matador", do meu querido Pedro Almodóvar.


Um comentário: